A Palavra de Deus Revelada ao homem.

Dízimo e ofertas.

Dízimo e ofertas.

              Dízimo e ofertas

 

      

                  Vou comentar algo sobre dízimo e ofertas e me alegro em poder fundamentar os argumentos em versículos do livro de Gênesis, pois entendo que este livro trata das origens e dos fundamentos que estão postos para todos os seres humanos, neste livro se estabeleceu todos os preceitos imutáveis de Deus.   

               

            Oferta é um conceito tão antigo quanto o homem, pois a primeira referência de oferta ocorre no Éden quando ainda não se tinha conceito de igreja ou manutenção de obreiros ou templos. “E deu à luz mais a seu irmão Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra. E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. Gênesis 4:2-3

                 Apenas poucos anos após o surgimento do homem, na sua segunda geração a oferta à Deus era uma prática comum. Adão certamente recebeu de Deus em uma de suas conversas de viração do dia  o conceito de louvar ao Criador com suas ofertas e passou aos seus filhos.

 

                 Na verdade a oferta foi criada como uma forma de adoração e não apenas uma obrigação. Deus considera o que está no seu coração no momento da oferta e não o que está em cima do altar somente. A  oferta é uma prova da dependência de Deus.

                O texto faz uma sutil observação sobre a oferta de Caim e a oferta de Abel. Caim trouxe do fruto da terra uma oferta, dando a entender que era algo comum e sem zelo, sem se importar que sua oferta fosse para o Deus que supria suas necessidades. “E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR.” 

 

                 Abel, porém estava com um sentimento diferenciado com relação ao ato da oferta que estava fazendo. Ele trouxe o melhor que tinha diante de Deus, pois trouxe dos primogênitos dos seus rebanhos.  “E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta. Gênesis 4:3-4

 

Atentou Deus para Abel e para a sua oferta. A palavra de Deus é  perfeita pois Ele atentou para o ofertante antes de atentar para a oferta,  primeiro  foi considerado  a intenção do coração do homem.Deus sondou o coração de Abel  para ver se ele estava liberando a oferta, ou se retinha em seu  íntimo um pesar de estar entregando as primícias das suas  ovelhas.  “...e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta. Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. Gênesis 4:4-5

              

                 Deus não deu atenção a Caim e para sua oferta, pois Deus conhece o ofertante antes de conhecer os motivos e a oferta.  Também vemos Deus dizer que o semblante de Caim estava descaído e ele estava irado com seu irmão, tanto que logo depois deste episódio Caim matou Abel. Logo vemos que se temos alguma coisa contra nossa irmão Deus não aceita nossa oferta.Manda que primeiro nos reconciliemos com nosso irmão, algo que Caim não teve humildade para fazer, razão pela qual sua oferta não foi aceita. “Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta. Mateus 5:23-24

 

                   Logo o Deus que conhece o coração e julga a intenção da oferta aceitou a de Abel que era um reconhecimento da soberania de Deus, e rejeitou a de Caim que era um mero ritual, como uma obrigação.Também  somos levados a pensar que a oferta que damos não deve estar ligada ao costume da igreja, ou para agradar o pastor ou por obrigação, mas sim por amor a Deus, como um reconhecimento, e com liberalidade.

 

                    A oferta era queimada por pelo menos dois motivos: 1. O ofertante queria que sua oferta chegasse até , Deus que mora no céu e a única maneira de entregar a ele pessoalmente era em forma da fumaça que subia. 2. Como uma demonstração de desprendimento pois o fato de queimar a oferta  indica entrega total, sem chance de tomar de volta, sem se importar com o destino. Ao ofertar você deve considerar como queimando a sua oferta, pois ao entregar para quem quer que seja você já cumpriu o propósito que Deus estabeleceu. Se você ofertar e ficar preocupado com o que aconteceu com o dinheiro ou  a sua oferta, saiba que você não ofertou verdadeiramente, pois a oferta não subiu não “queimou” e ainda está presa a você. Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria 2 Coríntios 9:7


                  Importa para Deus o sentimento por traz da oferta. Deus não precisa do seu dinheiro, mas da sua adoração. Jesus viu muitos ricos ofertando algo que não tinha significado para eles, mas uma viúva pobre ofertou tudo que tinha numa demonstração de total adoração e confiança no Deus que supre todas as tuas necessidades. “E, olhando ele, viu os ricos lançarem as suas ofertas na arca do tesouro;E viu também uma pobre viúva lançar ali duas pequenas moedas;E disse: Em verdade vos digo que lançou mais do que todos, esta pobre viúva; Lucas 21:1-3

 

                   O maior oferta colocada sobre um altar  no antigo testamento foi  feita por Abraão o pai da fé. “E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi. Gênesis 22:2”  Esta oferta tem um grande significado pois representa o quanto Deus amou a mim e a ti e qual a mensagem real de uma oferta.

 

                   Deus pediu para Abrão ofertar seu único filho a quem amava para provar o grande amor que tinha por Ele.Na verdade Deus estava usando uma figura para ilustrar que a maior oferta já colocada sobre  altar da redenção foi o filho unigênito de Deus , a quem ele amava e ainda ama. “Nisto se manifesta o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos. 1 João 4:9”   

O grande amor de Deus foi nos exemplificado através de uma oferta . Cristo se ofertou  por toda a humanidade. “E andai em amor, como também Cristo vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave. Efésios 5:2”              

   

                   Dízimo é algo que também por vezes tem tomado um sentido errado, será que não pensamos alguma vez que o nosso dízimo está sendo mal empregado?Ou nunca pensamos se o pastor está sendo honesto na administração dos dízimos.

                    Sabemos que os dízimos são para a manutenção da casa de Deus. “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, Malaquias 3:10” E para a manutenção dos obreiros que trabalham integralmente na obra. “Porque diz a Escritura: Não ligarás a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário. 
1 Timóteo 5:18

 

                   Mas eu quero te dizer que o dízimo é isto tudo e muito mais, pois a instituição do dízimo vem antes do surgimento da igreja, entes do templo, o próprio Jesus na figura de Melquezedeque vem dar a Santa Ceia e receber o dízimo de Abraão o pai de todos os crentes. “E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo. Gênesis 14:20”Aquele que serviu a Santa Ceia recolheu o dízimo.

 

                  Por que Abraão deu o dízimo se ele não tinha pastor ou igreja, e mais, o que Melquezedeque fez com o dízimo de Abraão? Logo somos levados a entender que o dízimo é uma forma de reconhecimento da soberania de Deus. Dar dez por cento do teu dinheiro não é dar o dízimo, se não entregar realmente de coração. Você só dá o dízimo a Deus se entregar liberalmente sem reservas com sinceridade de coração senão apenas estou dando 10% do meu dinheiro. Te digo que Deus não precisa de  10% do teu dinheiro mas sim de uma demonstração de dependência Dele. “Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria. 2 Coríntios 9:7

 

                 Quando Abrão deus o dízimo, Melquisedeque  apresentou o Deus como o possuidor do céu e da terra , ou seja tudo que Abrão tinha já era de Deus.Sabemos  que Deus era chamado por vários nomes de acordo com a ocasião ,por exemplo: Jeová-Jiré (o Senhor proverá), Jeová-Nissi ( Deus é minha Bandeira), Jeová-Salom (Deus é paz) “O Deus dos exércitos”  e outros mas neste momento o que estava sendo tratado após a  grande vitória de Abrão com seus318 homens e a libertação de Ló, era o dízimo.A  ênfase era para o domínio absoluto de Deus sobre o céu e a terra, e que fora Deus quem entregou os inimigos nas mãos Abrão com suas posses e tudo que lhes pertencia.

                Quando Melquisedeque diz para Abraão que Deus é o dono do céu e da terra entendemos que estava sendo estabelecida uma relação de dependência.Bendito seja a obediência e a liberalidade de Abraaão.  “E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra; Gênesis 14:19”


                  O dízimo deve ser devolvido pelos motivos certos.Jesus ensina sobre um dizimista que não é justificado perante Deus, pois no seu coração ele tinha certo orgulho, e se achava melhor do que os outros por ser fiel. Sua fidelidade não lhe dá o direito de criticar o que não é fiel.Ele julgava os outros homens como roubadores pois não eram dizimistas como ele, porém nunca podemos ocupar o lugar de Deus e julgar o nosso próximo.“ O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: O Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano.Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo. Lucas 18:11-12

               O mais importante conceito de dízimo é que este já é de Deus e a oferta já é esperada por parte dele. Se você não devolve algo que pede emprestado para alguém logo você é um ladrão. “Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas. Malaquias 3:8

               Tudo é de Deus, e devolvendo algo para o seu dono você está reconhecendo, a verdadeira propriedade sobre o objeto.

                A segunda referência de dízimo que temos na Bíblia é citada por Jacó. Quando saiu da sua terra para ir ao encontro de Labão na noite em que teve um encontro real com Deus.Jeová  fez com ele um pacto de bênção .O Eterno disse que abençoaria Jacó na sua jornada. “E eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra; porque não te deixarei, até que haja cumprido o que te tenho falado. Gênesis 28:15

 

                 Neste momento diante da infinita misericórdia de Deus e entendendo Jacó que O Eterno era dono de tudo imediatamente fez um voto com o Senhor, dizendo: “E Jacó fez um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta viagem que faço, e me der pão para comer, e vestes para vestir; E eu em paz tornar à casa de meu pai, o SENHOR me será por Deus; E esta pedra que tenho posto por coluna será casa de Deus; e de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo. Gênesis 28:20-22

 

                 Note que Jacó não pediu riquezas, mas sim o que realmente importa para o crente, “ pão para comer, e vestes para vestir;E eu em paz tornar à casa de meu pai”.Jacó só queria alimento cotidiano, vestes para não passar frio e ser levado no arrebatamento da igreja para a casa do Pai eteno.Volto a ressaltar que não havia igrejas nem  pastores, e o dízimo seria a mais pura demonstração de gratidão a Deus.

                  A referencia mais conhecida  e citada de cor por todo crente está em Malaquias . “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim nisto, diz o SENHOR dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes.Malaquias 3:10

 

                 O dízimo nos dias de hoje é uma prova de confiança em Deus, de adoração e reconhecimento de soberania, mas também serve para a manutenção da igreja e dos obreiros integrais. Deus nos autoriza a termos ousadia de provar o senhor na nossa fidelidade, mas temos que primeiro ser fiel e depois alcançar a bênção.

 

                 Negar o dízimo é uma afirmação de auto-suficiência.Estamos dizendo que nos viramos sozinhos e não há ninguém sobre as nossas vidas.

 

                Adore Deus com teus dízimos e ofertas com liberalidade  Deus ama o que contribui com alegria e reconhece o senhorio de dEle  na sua vida.Que Jeus te abênçoe poderosamente e não deixe faltar o alimento cotidiano.

                                                                                              Dc Nelson Quadros.    02/2012